quarta-feira, junho 02, 2010


A nova ficha batismal que chegou às mãos dos pastores trás no item sobre o abandono de “diversões mundanas” que devem ser abandonadas pelos novos crentes, o novo item “jogo de baralho”.

Conheço cristãos que gostam de jogar baralho, há alguns anos atrás em um de nossos colégios em alguma grande cidade brasileira os alunos se reuniam em vários grupos formando círculos e jogavam cartas pelas calçadas, parecia uma febre. Um dos pais adventistas chegou a enviar uma carta anônima pedindo a correção, passado algum tempo um pastor se dirigiu ao diretor que de início parecia relutante em fazer a proibição ao jogo de baralho.
Seria apenas um passatempo inocente ou uma invenção diabólica?
Seria o jogar cartas uma proibição divina?

A polêmica está estabelecida: as pessoas dizem: Será que quem joga qualquer modalidade de partida está fazendo uma obra de Satã?

Seria exagero dizer que ele vive nestas cartas e seus símbolos?

A história das cartas de baralho envolve misticismo, mistério, ocultismo, vícios, falências pessoais e fortunas ganhas em um cassino ou casa de jogos.

O que se esconde em seus números e símbolos? E quem detém os segredos das cartas?
Por: Blog Advir Artigos
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu Comentário

Acesso desde Abril de 2010